31/12/2011

Balanço 2011!!!!


Este foi mais um ano de óptimas descobertas literárias, de bons momentos acompanhados por bons livros! Por isso, é essencial fazer um balanço do ano 2011, à semelhança do que tenho vindo a fazer desde que iniciei este blogue.
Devo afirmar ainda que o ter criado este blogue foi uma óptima ideia que só me tem dado alegrias e ainda mais ânimo para ler e partilhar leituras e todas as emoções que me proporcionam. Aliás, foi sobretudo com esse propósito que o criei e qual não foi o meu espanto este meu cantinho abriu-me as portas para outros blogues semelhantes, para a busca de opiniões e de mais enriquecimento no mundo da blogosfera!!!!´
Mas nada seria o mesmo sem os meus seguidores, aqueles que acompanham sempre o blogue, alguns que se tornaram, inclusivamente, amigos! Obrigado a todos e também às Editoras que colaboram com “Uma Biblioteca Aberta” e que me ajudam a ter acessso a mais e melhor literatura!!!!!
É para vocês que faço este balanço e para mim claro para poder analisar a minha evolução ao longo do tempo e se consigo ou não cumprir com os desafios que coloco a mim própria para o próximo ano.
Aqui vai então:

Os números…
Em 2011 li 36 livros (mais 3 do que em 2010). No que se refere à proveniência dos mesmos, 27 dos livros lidos pertencem à minha biblioteca, 8 foram-me emprestados para ler pela minha irmã e um foi-me emprestado por uma amiga. Ou seja, este ano consegui ler muitos livros da minha biblioteca e espero continuar assim para o ano!
É de salientar ainda que recebi de oferta de editoras este ano 9 livros: um da Porto Editora, 3 da Editorial Planeta e 5 da Editorial Presença. Destes nove livros já li 7, só me faltando ler dois.
Quanto aos géneros literários li maioritariamente romances (17), seguidos pelos policiais (9), 6 romances históricos, 3 thrillers, e 1 de crónicas.
No que se refere ao número de páginas lidas em 2011 foram de, segundo a informação do goodreads, 12414 páginas (mais 1100 páginas do que em 2010!).
Quanto às compras posso afirmar que este ano foi a desgraça total lol: comprei nada mais nada menos do que 76 livros!!!!!

Os desafios…
Ora bem quanto aos desafios de 2011 foram sobretudo dois: um no goodreads referente ao número de livros a ler e um desafio literário conjunto com o Blogue “Refúgio dos Livros”.
Quanto ao primeiro, estabeleci a meta em 40 livros. Não atingi esse desafio, ficando-me pelos 36 livros.
No que se refere ao segundo desafio, que consistia em ler todos os meses um determinado tema posso afirmar com orgulho que o consegui alcançar e foi muito gratificante!! A lista referente a este desafio pode ser vista aqui.

TOP 10
     À semelhança dos anos anteriores, estabeleci o top 10 (atenção que não está por ordem de preferência!) dos dez melhores livros lidos este ano. Foi uma escolha particularmente difícil porque este ano li muitos bons livros mas aqui vai: 
           1 .O Voyeur – Brian Freeman
      2. Caim – José Saramago 
           3.  Catarina de Aragão, a princesa determinada – Phillipa Gregory
           4. Falta de Provas – Harlan Coben
      5. A princesa de gelo – Camilla Lackberg
      6.     Pensa num número – John Verdon
      7.      O segredo da casa de Riverton – Kate Morton
      8.      Um mundo sem fim – Ken Follett
      9.     Caderneta de cromos – Nuno Markl
1    10. A sul da fronteira, a oeste do Sol – Haruki Murakami

As maiores revelações….
Este ano foi particularmente rico em leituras de novos escritores que ainda não tinha tido oportunidade de ler como Camilla Lackberg, Phillipa Gregory, Kate Morton, Júlio Magalhães, Brian Freeman, Kepler, Harlan Coben, Jude Deveraux, Sandra Brown, ou Lívia Borges (muito obrigada Lívia por ter confiado em mim e ter enviado um exemplar para eu ler a “sua” Júlia Félix!).
Todos estes escritores foram uma agradável surpresa e gostei muito dos seus livros e pretendo segui-los com muita atenção em 2012!!!!
Nuno Marll também adorei e arrancou-me grandes gargalhadas e foi um prazer ler a sua caderneta de cromos! Em 2012, aguarda-me o “Caderneta de cromos Marte-ataca!”.
A literatura nórdica surpreendeu-me este ano e em 2012 quero continuar a segui-la de perto!

As maiores desilusões….
Posso afirmar que foram quatro as desilusões deste ano: O artista da morte de Daniel silva (muito confuso, sem muita acção, Os Pássaros da Morte de Mo Hayder (pelas criticas, estava à espera de melhor. Será que li numa má altura?), Regras de Sedução de Madeline Hunter ( história repetitiva, sem acção e sem conteúdo) e O caderno da Morte de Jonathan Santlofer (acho que o facto de existir um livro anterior a que é feita constante referência e que não li fez com que não percebesse certas coisas e mesmo a história não é, a meu ver, das mais apelativas).

Em 2012…
Bem este meu balanço já está demasiado extenso e como tal vou abreviar o mais possível as minhas intenções literárias para 2012.
Em primeiro lugar pretendo ler 40 livros no próximo ano (espero conseguir!). Em segundo lugar, pretendo comprar muitos menos livros (aliás fiz um acordo com o meu pai em como só compro livros do Círculo de Leitores e na Feira do Livro).
Considero importante ler os clássicos da literatura e, por isso, vou tentar ler alguns em 2012.
Vou continuar a dar prioridade à minha biblioteca mas espero ler também muitos dos meus pais e irmã e até da biblioteca municipal.
Espero que as parcerias editoriais se mantenham e que consiga acompanhar a leitura dos livros que me enviam e espero também que os passatempos aumentem aqui no blogue...
Não posso deixar por isso de agradecer às editoras todo  apoio concedido a este meu cantinho. Muito obrigada!
Quero acompanhar também a literatura nacional com enfoque nos escritores José Rodrigues dos Santos, Júlio Magalhães e o meu muito querido José Saramago!!!!!E quem sabe se não descobrirei mais escritores lusos????
Em 2012, “Uma Biblioteca aberta” e o blogue “Refúgio dos livros” estabeleceram mais um desafio, desta vez dedicado aos escritores:
Janeiro: Kate Morton
Fevereiro: Camilla Lackberg
Março: Elizabeth Edmondson
Abril: Sandra Brown
Maio: Philippa Gregory
Junho: Ken Follett
Julho: José Rodrigues dos Santos
Agosto: Lars Kepler
Setembro: Agatha Christie
Outubro: Júlio Magalhães
Novembro: Jude Deveraux
Dezembro: Jane Austen

Espero que este blogue tenha contribuído, mais um ano, para incentivar as vossas leituras e para fazer da leitura um prazer inigualável!!!!!!
Desejo a todos os leitores e amigos deste blogue um óptimo 2012 recheado de muitas leituras!!!!!!!!!!!!!!

27/12/2011

Caim - José Saramago

My rating: 5 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Desafio Dezembro – Livro de Bolso.

Proveniência: a minha biblioteca. 



A minha Opinião:
Filho primogénito de Adão e Eva segundo o Antigo Testamento da Bíblia, Caim sentiu ciúmes por Deus ter preferido as ofertas feitas pelo irmão mais novo, Abel, e matou-o, cometendo o primeiro homicídio na história da Humanidade. Este é o início do livro, a premissa que nos guiará ao longo de toda a leitura.
Depois de cometer este homicídio, Caim recebe a visita de Deus, que o marca na cabeça para toda a vida, fazendo com que seja reconhecido aonde quer que vá, representando uma marca do seu pecado. A partir daí assistimos a um "confronto" entre Deus e Caim.
Caim foge da sua terra e no seu percurso depara-se com diferentes momentos bíblicos do Antigo Testamento (como o episódio da Torre de Babel, da Arca de Noé, do episódio entre Abraão e Ismael, a destruição de Sodoma e Gomorra). Ao longo de todo o caminho deparamo-nos, por um lado, com a visão de Caim e, por outro, a visão de Deus.
Deus é retratado neste livro como uma entidade má e vingativa, nada coincidente com a imagem que temos d'Ele do Novo Testamento.
A descrição dos episódios bíblicos, elaborados sob o olhar de Caim (que afinal cometeu o primeiro homicídio da humanidade) é muito interessante porque afinal leva-nos a repensar um pouco como será realmente Deus? Que poder teria?
Com este livro tomei conhecimento de muitos factos da História do Antigo Testamento que não conhecia e os que conhecia foram colocados em dúvida.Apesar de ser católica, julgo importante ler e reflectir sobre o papel de Deus e sobre a evolução da Humanidade.
E tal como refere José Saramago na contracapa este poderia ser o resumo do livro:”A história dos homens é a história dos seus desentendimentos com deus, nem ele nos entende a nós, nem nós o entendemos a ele”.
Mais um livro extraordinário e único de José Saramago que, para além da escrita rica, nos surpreende com temas actuais e, inclusivamente, polémicos!!
Fiquei super curiosa para ler "Evangelho segundo Jesus Cristo" que ainda tenho que adquirir e que, ao contrário de "Caim" se refere ao Novo Testamento. Seria muito interessante comparar os dois livros!!!
Adorei e dá muito que pensar...Aliás como já é habitual com os livros deste escritor!!!!

O melhor: A capacidade de José Saramago nos deixar a pensar em coisas ou factos que nós pensávamos não termos dúvidas. A escrita inigualável deste escritor!!!!

O Pior: A História entre Abraão e Ismael que me chocou bastante! Como pode Deus pedir a um pai que mate o próprio filho para provar a sua fé?

O autor:
Prémio Nobel da Literatura 1998.
Consagrado escritor português, José Saramago nasceu a 16 de novembro de 1922, em Azinhaga, no concelho da Golegã.
Ficcionista, cronista, poeta, autor dramático, coube-lhe a honra de ser o primeiro autor português distinguido com o Prémio Nobel da Literatura, em 1998, consagrando, no seu nome, o prestígio das letras portuguesas contemporâneas além-fronteiras.
José Saramago é comendador da Ordem Militar de Santiago de Espada desde 1985 e cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras Francesas desde 1991. Para além do prémio Nobel, foi galardoado com o Prémio Vida Literária, atribuído pela APE, em 1993, e com o Prémio Camões, em 1995. Em 1999 foi doutorado honoris causa pela Universidade de Nottingham, em Inglaterra, e em 2000 pela Universidade de Santiago, no Chile; e, em 2004, pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pela Universidade de Charles de Gaulle-Lille III, em França.
Morreu a 18 de junho de 2010, aos 87 anos, na sua residência na localidade de Tías, em Lanzarote, nas Canárias.

A minha Classificação: 7 – Excelente!

Período de Leitura: De 6 a 13 de Dezembro de 2011.

21/12/2011

Bom natal!!!

FELIZ NATAL A TODOS OS SEGUIDORES E VISITANTES DESTE MEU CANTINHO!!!!!

20/12/2011

O Voyeur - Brian Freeman

My rating: 5 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Livro oferecido pela Editorial Presença! Brian Freeman é um escritor que nunca tinha lido por isso despertou-me a curiosidade. Mais um policial!!!

Proveniência: Editorial Presença/ a minha biblioteca.

A minha Opinião:
O ponto de partida deste livro é um crime que ocorreu há 30 anos e que ficou por resolver….A vítima, Laura, é cunhada do inspector Stride e este não descansa enquanto não o resolver depois do regresso de Tish, a melhor amiga de Laura.
Passado e presente entrecruzam-se durante toda a narrativa, ora com excertos do livro que Tish está a escrever sobre o crime, ora no presente em que Brian Freeman descreve a vida das personagens passado tanto tempo dos acontecimentos.
O Inspector Stride tem Serena, a sua namorada, e Maggie, a sua companheira de trabalho, para o ajudar na investigação e todos têm marcas profundas do passado que os influenciam no presente, sobretudo nas suas personalidades e no seu modo de ver a vida e orientar a investigação.
Este livro aborda não só esta investigação como também o caso de um voyeur que observa jovens raparigas loiras na calada da noite…E se ambos os casos estiverem correlacionados???
Mais uma vez, num policial, o cariz psicológico é determinante e nem tudo o que parece é….
É um livro repleto de mistério, suspense, tensão, surpresa, características fundamentais de um bom policial!!!!
Aconselho vivamente e espero, no futuro, ler os restantes livros do autor!

O melhor:
As reviravoltas e as surpresas que nos surpreendem ao longo de todo o livro.
O modo inteligente, prático e realista com que Brian Freeman descreve as personagens e os ambientes!

O Pior: Não conseguirmos largar o livro! Por isso, não há nada de mau no mesmo.

O autor:
Brian Freeman é um conceituado autor de romances policiais. Iniciou a sua carreira de escritor aos 41 anos com a obra Segredos Imorais, galardoada com o Macavity Award para melhor primeiro romance e finalista de outros prémios tão prestigiosos quanto o Edgar Award, o Dagger Award, o Anthony Award e o Barry Award. O seu segundo livro, Cidade Inquieta, foi alvo das mais elogiosas críticas e considerado um dos melhores policiais do ano da sua publicação pelo South Florida Sun Sentinel. Perseguida, o seu terceiro romance, recebeu igualmente a aclamação unânime do público e da crítica. As suas obras, caracterizadas por um intenso suspense psicológico, tornam-se invariavelmente bestsellers internacionais, e Freeman é hoje considerado a par de nomes como Hitchcock, Chandler, Ellroy ou Harlan Coben.

A minha Classificação: 7 – Excelente!

Período de Leitura: De 30 de Novembro a 6 de Dezembro de 2011.

06/12/2011

Pensa num número - John Verdon

My rating: 4 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Livro oferecido pela Porto Editora! Outra razão foi as óptimas opiniões que tenho lido sobre o livro!

Proveniência: Porto Editora/ a minha biblioteca.


A minha Opinião:
A premissa do livro: bilhetes anónimos a pedir para pensar num número de um a mil….O receptor da mensagem pensa e quem envia manda nova mensagem em que demonstra que adivinhou no número escolhido…
Coincidência? Capacidades paranormais? Quem poderá conhecer tão bem as pessoas chegando ao ponto de adivinhar o número em que pensam?
Gurney, reformado da polícia de Nova Iorque, vê-se confrontado com este enigma, quando um amigo dos tempos da universidade recebe estas mensagens e pede-lhe ajuda para descobrir quem está por detrás desta maldade…
Devido ao seu fascínio por mistérios e quebra-cabeças, Gurney acaba por aceitar esta investigação e tudo muda quando surgem vários crimes…E o que os relacionam? As mensagens anónimas…
É um policial intenso, tal como eu gosto: muitas mortes, crimes aparentemente indecifráveis, com muito mistério e suspense do principio ao fim, não menosprezando outro factor importante: a psicologia subjacente!
Este factor psicológico acompanha-nos ao longo de todo o livro: desde o passado de Gurney (a infância e um acontecimento que o marcou profundamente), passando pelo passado do assassino e todas as suas psicoses!
A escrita é excelente e as descrições tanto dos locais como das personagens são extremamente ricas!
É um livro muito bom que recomendo sem reservas!

O melhor: a personagem Hardwick – com um acentuado sentido de humor. As descrições das personagens, com todos os seus segredos, as formas de verem a vida, defeitos e virtudes. A esposa de Gurney que o ajuda bastante com a sua forte capacidade intuitiva. O suspense do principio ao fim!

O Pior: A personagem Rodriguez.

O autor:
John Verdon trabalhou durante vários anos como diretor criativo em agências de publicidade de Manhattan. Logo após o 11 de setembro de 2001, mudou-se para uma pequena localidade no Norte do estado de Nova Iorque, onde se dedica à escrita a tempo inteiro.
Pensa num Número, o seu romance de estreia, encontra-se publicado em 24 países. 

A minha Classificação: 6 – Muito Bom.

Período de Leitura: De 14 a 30 de Novembro de 2011.

28/11/2011

A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol - Haruki Murakami

A Sul da Fronteira, a Oeste do SolA Sul da Fronteira, a Oeste do Sol by Haruki Murakami
My rating: 4 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Desafio mês de Novembro – Haruki Murakami

Proveniência: A minha biblioteca.


A minha Opinião:
Haruki Murakami dá-nos sempre que pensar. Os livros deste escritor, na minha opinião, são sobre a condição humana através de coisas simples da vida quotidiana, alternadas com um pouco de magia ou fantasia.
Neste livro o elemento magia/fantasia não está incluído o que achei muito curioso. É um livro mais realista, cuja história poderia acontecer a qualquer um…
Esta é uma história de amor, contada na primeira pessoa, pela voz de Hajime.
O livro inicia-se pelo nascimento de Hajime e este vai contando a sua vida de criança, de adolescente e de adulto focando, sobretudo, a sua vida amorosa e como ao longo dos anos a sua visão do mundo e do amor se vai modificando.
Durante a infância, Hajime conhece Shimamoto e rapidamente se tornam amigos inseparáveis e entre eles nasce uma história de amor tendo como tema de fundo a canção “ A sul da Fronteira a Oeste do Sol”( no original “South of the border, west of the Sun” de Nat King cole) . Contudo, o destino faz com que os dois se separem e sigam vidas separadas durante vinte anos.
Passados vinte anos, já depois de Haijime ter prosseguido a sua vida (sem todavia se ter esquecido dos momentos vividos com Shimamoto estabelecendo sempre comparações entre as relações que tem ao longo da vida com a que teve com ele) os dois reencontram-se e nada é como antes. A chama do desejo e do amor continuam acessas pelos menos para Hajime mas Shimamoto tem uma vida misteriosa e incerta pautada por desaparecimentos repentinos.
A meu ver este livro dá que pensar e coloca questões como: será que o destino nos prega partidas para vermos o que realmente vale a pena e o que não vale? Devemos antes preservar o que temos como certo em detrimento do incerto apesar da aventura e do amor que está subjacente? Temos a capacidade de mudar a nossa vida? E se a mudarmos teremos a certeza que será para melhor?
Para além da questão da mudança, o título do livro tem um significado especial que ficamos a conhecer ao longo do livro: duas pessoas que se amam são, no fundo tão diferentes que as suas personalidades se situam em lados opostos: um a sul da fronteira, outro a oeste do sol….
Gostei muito deste livro e da filosofia subjacente apesar de ter um final que fica em aberto….

O melhor: À semelhança do que acontece em “Sputnik, meu amor” a personagem principal adora ler e eu identifico-me com essa característica, As filosofias subjacentes ao livro.
A escrita do autor.

O Pior: O final que fica em aberto apesar de ser lindíssimo. 

A autora/o autor:
Haruki Murakami, de quem a Casa das Letras editou Kafka à Beira-Mar (com mais de 15 mil exemplares vendidos) e Sputnik, Meu Amor, é um dos escritores japoneses contemporâneos mais divulgados em todo o mundo sendo, simultaneamente, aplaudido pela crítica, que o considera um dos «grandes romancistas vivos» (The Guardian) e a «mais peculiar e sedutora voz da moderna ficção» (Los Angeles Times).
Nasceu em Quioto, em 1949. Estudou teatro grego antes de gerir um bar de jazz em Tóquio, entre 1974 e 1981. Além de Sputnik, Meu Amor, Kafka à Beira-Mar, Dance, Dance, Dance e A Wild Sheep Chase, que recebeu o Prémio Noma destinado a novos escritores (a editar brevemente pela Casa das Letras), Murakami é ainda autor, entre outros, de Hard-boiled Wonderland and the End of the World (distinguido com o prestigiado Prémio Tanizaki) e, mais recentemente, de Blind Willow, Sleeping Woman, a sua terceira colectânea de contos, distinguida com o Frank O'Connor International Short Story Award.

A minha Classificação: 6 – Muito bom 

Período de Leitura: De 14 a 22 de Novembro de 2011.


Wishlist do autor:  

Num mundo aparentemente normal e de contornos reconhecíveis, movem-se duas personagens centrais: Aomame, uma mulher independente, professora de artes marciais, e Tengo, professor de matemática. Os dois estão quase a entrar na casa dos trinta anos, têm vidas solitárias e ambos se dão conta de ligeiros desajustamentos à sua volta, que os conduzirão fatalmente a um destino comum. Falta dizer que tanto um como outro são mais do que parecem: a bela Aomame, nas horas vagas, é uma assassina que mata as suas vítimas sem deixar vestígios, levando toda a gente a pensar que morreram de morte natural; o apagado Tengo, um escritor em construção a quem o editor, Komatsu de seu nome, encarregou de trabalhar na revisão de A Crisálida de Ar, obra prometedora, nascida da imaginação (ou talvez não...) de uma adolescente enigmática, chamada Fuka-Eri.

Ambientado numa atmosfera japonesa, mas com um pé no noir americano, Murakami tece uma história detectivesca onde a realidade é palpável, dura e fria, e seria a verdade de qualquer um, não fosse um leve pormenor: é uma realidade absolutamente fantástica. Um publicitário divorciado, que tem um caso com uma rapariga de orelhas fascinantes, vê-se envolvido, graças a uma fotografia publicitária, numa trama inesperada: alguém quer que ele encontre um carneiro! Mas não é um carneiro qualquer. É um animal que pode mudar o rumo da história. Um carneiro sobrenatural…
Murakami dá a esta estranha história um tom que só um oriental pode imprimir a uma crença, fazendo-a figurar como um facto da realidade. Coloca, de uma forma genial, a fantasia na aridez do mundo real. 



Num sufocante dia de Verão, um advogado põe-se à procura do seu gato e dá de caras com uma estranha rapariga num jardim abandonado nas traseiras de casa. Mais adiante, as dores provocadas a meio da noite pela fome levam um jovem casal de recém-cadasos a fazer uma incursão nocturna e a assaltar um McDonald’s para conseguir deitar a mão a trinta hambúrgueres Big Mac, realizando assim um secreto desejo que já vinha dos tempos da adolescência. Um homem fica obcecado pela misteriosa e incrível saga de um elefante que se desvanece em fumo e desaparece da noite para o dia sem deixar rasto. Sem esquecer as confidências de uma mulher casada e jovem mãe com insónias que passa as noites em claro, a ler Tolstoi, e acorda para a vida num mundo indefinido de semiconsciência em que tudo se afigura possível - até mesmo a morte.
Ao longo de dezassete pequenas histórias aparentemente banais, das muitas que povoam o nosso quotidiano, Haruki Murakami transporta o leitor à dimensão paralela de um imaginário delicioso e bizarro ao mesmo tempo, percorrendo um Japão que tem tanto de nostálgico como de moderno. »Muitas vezes divertidos, sempre comoventes», os dezassete contos desta colectânea são prova da extraordinária capacidade narrativa de Haruki Murakami.


Kafka à Beira-Mar narra as aventuras (e desventuras) de duas estranhas personagens, cujas vidas, correndo lado a lado ao longo do romance, acabarão por revelar-se repletas de enigmas e carregadas de mistério. São elas Kafka Tamura, que foge de casa aos 15 anos, perseguido pela sombra da negra profecia que um dia lhe foi lançada pelo pai, e de Nakata, um homem já idoso que nunca recupera de um estranho acidente de que foi vítima quando jovem, que tem dedicado boa parte da sua vida a uma causa - procurar gatos desaparecidos.
Neste romance os gatos conversam com pessoas, do céu cai peixe, um chulo faz-se acompanhar de uma prostituta que cita Hegel e uma floresta abriga soldados que não sabem o que é envelhecer desde os dias da Segunda Guerra Mundial. Assiste-se, ainda, a uma morte brutal, só que tanto a identidade da vítima como a do assassino permanecerão um mistério.
Trata-se, no caso, de uma clássica (e extravagante) história de demanda e, simultaneamente, de uma arrojada exploração de tabus, só possível graças ao enorme talento de um dos maiores contadores de histórias do nosso tempo.

18/11/2011

O Caderno da Morte - Jonathan Santlofer

O Caderno da MorteO Caderno da Morte by Jonathan Santlofer
My rating: 2 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Livro oferecido pela Editorial Presença! Éum policial e, como tal, tenho sempre vontade de ler!!!

Proveniência: Editorial Presença/ a minha biblioteca.

A minha Opinião:
Nate Rodriguez é um artista forense. Logo aqui fiquei muito curiosa: o que é um artista forense? Ora bem basicamente, e não querendo entrar em grandes pormenores sobre a história, um artista forense é um polícia que tem como actividade principal desenhar criminosos ou suspeitos através da descrição feita pelas vítimas ou testemunhas do crime. Muito mas muito interessante de facto, sobretudo porque nunca li nenhum livro policial cuja personagem principal tivesse essa profissão.
Neste livro é muito interessante ver o trabalho elaborado por Rodriguez sobretudo quando está em causa uma série de crimes e suicídios que, aparentemente nada têm de comum entre eles.
Contudo, à medida que avançamos na leitura, concluímos afinal que é precisamente o contrário e Nate e a sua namorada também inspectora tentam desvendar estes mistérios.
Esta tarefa torna-se complicada quando o trabalho destas personagens se vê confrontado com a implicação de forças governamentais como o FBI ou o exército americano.
Pelo meio vemos a grande carga psicológica que caracteriza esta história e a vida de Nate que não consegue esquecer a morte do pai e o sentimento de culpa que o persegue.
É um livro interessante mas cujas descrições das etapas de reconstrução facial adensam a trama e tornam-na um pouco parada e aborrecida.
Não foi daqueles livros que me tivesse marcado profundamente mas acho que quem tiver lido os livros anteriores do autor (apesar dos factos do passado descritos neste livro poderem ser menosprezados caso não o tenham feito e pouco ou nada contribuem para percebemos a história em si) poderá gostar bastante deste novo livro.

O melhor: A capacidade de Nate recriar a fisionomia do assassino através das características descritas pelas vítimas ou testemunhas dos crimes de que é acusado.
A surpresa que temos mais no final do livro, relacionada com o passado do Nate e da morte do seu pai.
A relação Nate/Terri.
As ilustrações do livro.

O Pior: As referências ao passado de Nate Rodriguez, incluídas no livro anterior do autor. Essas referências, uma vez que não li o livro, passaram-me um pouco ao lado e fiquei curiosa por saber o que realmente aconteceu.

O autor:
Jonathan Santlofer, americano, formado em Pintura e História da Arte, é um artista respeitado, cuja obra figura em diversas colecções públicas e privadas nos Estados Unidos e merece a atenção de meios tão reputados como o New York Times, Art in América, Artforum e Arts. Começou a dedicar-se à escrita em 1989 quando um incêndio numa galeria de arte de Chicago destruiu uma boa parte da sua obra. Este é o quarto livro que escreve e ilustra. Para o autor «escrever é um desafio» enquanto que «desenhar é mais natural para mim, mas não há dúvida de que ambas se influenciam no meu trabalho».

A minha Classificação: 4 - Interessante

Período de Leitura: De 2 a 14 de Novembro de 2011.


17/11/2011

Novidade Presença: Dei-te o melhor de Mim de Nicholas Sparks

Nicholas Sparks
Título Original: The Best of Me
Tradução: Maria Georgina Segurado, Sara Santos e Luzia Almeida
Páginas: 304
Coleção: Grandes Narrativas Nº 517
PREÇO COM IVA: 17,50€
ISBN: 978-972-23-4704-4
Código de Barras: 9789722347044 

NAS LIVRARIAS A 22 DE NOVEMBRO!!!!

Sinopse:
Dei-te o Melhor de Mim, o novo e aclamado romance de Nicholas Sparks, conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor. Contudo, sob a pressão familiar e social, são obrigados a seguir vidas distintas. Somente vinte e cinco anos mais tarde voltam a encontrar-se, por altura da morte do único homem que tinha protegido o jovem casal apaixonado. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, confrontam‑se inevitavelmente com as escolhas feitas e os compromissos assumidos. Qual então o sentido daquele encontro, se nada podia mudar o passado?


Nicholas Sparks é um dos contadores de histórias mais apreciados em todo o mundo. Todos os seus livros se tornaram bestsellers internacionais, estão traduzidos em mais de 40 línguas e ultrapassaram os 77 milhões de exemplares vendidos em termos globais. De entre as 16 obras que já publicou, seis deram origem a filmes de grande audiência – As Palavras Que nunca Te Direi, Um Momento Inesquecível, O Diário da Nossa Paixão, O Sorriso das Estrelas, Juntos ao Luar e A Melodia do Adeus.

 
Mais informações em:
(este mini-site é um mimo!!!!Só a Presença para fazer destas coisas!Visitem!) 


 Que rica prenda de Natal não acham? Mais um livro de NIcholas Sparks!!!!E, na minha opinião, estas capas são um mimo!!!!!!!!!!!!Adoro!!!!
Vou partilhar convosco os livros que já li do escritor:






 E tenho muitos por ler!!!!!!E vocês?

16/11/2011

Resultado do Passatempo "O Voyeur" de Brian Freeman

Este passatempo teve um total de 81 participações, todas válidas.
Respostas às questões:
 
Durante quantos anos foi assombrado Jonathan Stride por um crime do passado? 30 anos
Quem está determinada em reabrir o processo? Tish Verdure
Com que prémio foi galardoada a primeira obra do autor "Segredos Imorais"?Macavity Award
As suas obras são caracterizadas por... um intenso suspense psicológico.


De acordo com o Random.org o vencedor foi:


32 - Célia de Sousa Castanho

Parabéns à vencedora! Será enviado email à vencedora e à editora com os dados da mesma.
 

08/11/2011

Passatempo "O Voyeur" de Brian Freeman

No próximo dia 15 de novembro, a Editorial Presença vai publicar o livro O Voyeur, do mestre do thriller Brian Freeman. Um policial negro, onde o suspense se adensa, o ritmo acelera e a adrenalina atinge níveis quase insustentáveis.
Em colaboração com a Editorial Presença, temos para oferecer UM EXEMPLAR AUTOGRAFADO deste livro!!!!
Para isso basta responderem acertadamente a TODAS AS QUESTÕES DESTE FORMULÁRIO!!!

Regras do Passatempo:
 -  O passatempo decorrerá de 8 a 15 de Novembro (até às 23h59);
 - Só será considerada uma participação por pessoa e/ou morada;
Só serão consideradas as participações de Portugal continental e Ilhas (Açores e Madeira):
-  É necessário responder correctamente a todas as questões do formulário.
 - O resultado do passatempo será divulgado a 16 de Novembro e o vencedor será contactado via email.

As respostas poderão ser encontradas Aqui!
Boa sorte!!!!

Novidade Presença - "o Voyeur" de Brian Freeman

O Voyeur
Brian Freeman
Título Original: The Watcher
Tradução: Gonçalo Gama Pinto
Páginas: 376
Coleção: O Fio da Navalha Nº 112
PREÇO COM IVA: 16,60€
ISBN: 978-972-23-4659-7
Código de Barras: 9789722346597


Data de Publicação: 15 Novembro 2011
MESTRE DO THRILLER, COM NOVO ROMANCE NOIR
O mal tem olhos que veem na escuridão.
Ao longo de trinta anos, Jonathan Stride, o carismático detetive que chefia a Brigada de Detetives da polícia de Duluth, foi assombrado por um crime do passado – o violento e incompreensível homicídio de Laura Starr. Mas quando Tish Verdure regressa à cidade na posse de novas provas e determinada a reabrir o processo para que o assassino da sua amiga de juventude seja punido, Stride ganha um novo fôlego e dá início a uma nova investigação. Em O Voyeur, o suspense adensa-se, o ritmo acelera e a adrenalina atinge níveis quase insustentáveis. Um romance noir, genialmente orquestrado, que vem confirmar Freeman como um grande mestre do thriller.

Brian Freeman é um conceituado autor de romances policiais. Iniciou a sua carreira de escritor aos 41 anos com a obra Segredos Imorais, galardoada com o Macavity Award para melhor primeiro romance e finalista de outros prémios tão prestigiosos quanto o Edgar Award, o Dagger Award, o Anthony Award e o Barry Award. O seu segundo livro, Cidade Inquieta, foi alvo das mais elogiosas críticas e considerado um dos melhores policiais do ano da sua publicação pelo South Florida Sun Sentinel. Perseguida, o seu terceiro romance, recebeu igualmente a aclamação unânime do público e da crítica. As suas obras, caracterizadas por um intenso suspense psicológico, tornam-se invariavelmente bestsellers internacionais, e Freeman é hoje considerado a par de nomes como Hitchcock, Chandler, Ellroy ou Harlan Coben.

CITAÇÕES DE IMPRENSA ESTRANGEIRA
«Brian Freeman sabe contar uma história.» - Michael Connely
«A obra mais ambiciosa e bem concebida deste autor até à data.» - Publishers Weekly
«Realçado por ambientes sombriamente poéticos e por uma admirável caraterização das personagens... este romance perturbador e inquietante deixa-nos na ignorância até às últimas páginas.» - Publishers Weekly



04/11/2011

Livros de Isabel Allende Autografados - a não perder a partir de 4 de Novembro!

O Caderno de Maya, o novo romance de Isabel Allende publicado pela Porto Editora, está disponível em todo o país a partir de dia 4 de novembro. 

As Livrarias Bertrand do Colombo (Lisboa) e do Norteshopping (Porto) terão, cada uma, 150 exemplares autografados pela autora a partir das 18:00 desse mesmo dia 4. O custo desta edição especial e limitada é o mesmo da versão normal.

Isabel Allende integra o lote de escritores mais populares do mundo. Só a soma dos livros vendidos é impressionante: 57 milhões. Obras como A Casa dos Espíritos e Paula são incontornáveis para milhões de leitores de dezenas de países e alcançaram um sucesso enorme também em Portugal.

Sobre O Caderno de Maya e respetiva protagonista, a autora explica: «esta Maya fez-me sofrer mais do que qualquer outra das minhas personagens». A obra aborda um tema contemporâneo - o da droga - e Allende decidiu escrevê-la simplesmente porque sentia necessidade de contar uma história atual.

Sobre o livro:
Um passado que a perseguia. Um futuro ainda por construir. E um caderno para escrever toda uma vida.

«Sou Maya Vidal, dezanove anos, sexo feminino, solteira, sem namorado por falta de oportunidade e não por esquisitice, nascida em Berkeley, Califórnia, com passaporte americano, temporariamente refugiada numa ilha no sul do mundo. Chamaram-me Maya porque a minha Nini adora a Índia e não ocorreu outro nome aos meus pais, embora tenham tido nove meses para pensar no assunto. Em hindi, Maya significa "feitiço, ilusão, sonho", o que não tem nada a ver com o meu carácter. Átila teria sido mais apropriado, pois onde ponho o pé a erva não volta a crescer.»

02/11/2011

Catarina de Aragão, a princesa determinada - Philippa Gregory

Catarina de Aragão - A Princesa Determinada (The Tudor, #1)Catarina de Aragão - A Princesa Determinada by Philippa Gregory
My rating: 4 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Despertou-me o interesse por ser o primeiro volume de uma série dedicada aos Tudor. Desafio do mês de Outubro - Romance Histórico.

Proveniência: A minha biblioteca.

A minha Opinião: A História relativa à dinastia Tudor de Inglaterra sempre me despertou muito o interesse e, por isso, quando descobri a saga da Phillippa Gregory fiquei toda empolgada e comprei logo este primeiro volume. O certo é que, como muitos outros livros que tenho na prateleira, este ficou à espera de ser lido durante algum tempo! Mas como o tema do desafio do Mês de Outubro era "Romance Histórico" disse para os meus botões: é desta que pego neste livro!!!!E foi o melhor que poderia ter feito!
Depois de ter lido "A Favorita do Rei" que retrata a vida na corte dos pais de Henrique VIII esta leitura foi mesmo interessante! Afinal foi como se eu seguisse uma ordem cronológica de leitura e, assim, percebi melhor muitos dos acontecimentos relatados em "Catarina de Aragão".
Neste livro ficamos a conhecer muito mais do que a história de Catarina que, desde muito pequena, foi prometida em casamento ao herdeiro ao trono de Inglaterra, Artur (irmão de Henrique). Conhecemos a sua infância, as suas origens espanholas e a personalidade dos seus pais (os famosos Reis Católicos - Isabel e Fernando - cuja descrição muito me admirou pela negativa devo dizê-lo!). A infância de Catarina passada em Espanha, no palácio de Allhanbra, regida por uma educação rígida, tolda toda a sua personalidade que se demonstrará muito determinada e forte!
Catarina, quando chega a Inglaterra tem em mente um único objectivo: ser rainha de Inglaterra, título que sempre lhe foi incutido pelos pais, sendo que a sua ambição passa rapidamente para a filha!
Contudo, quando conhece Artur, nada fazia prever que se iria apaixonar verdadeiramente!
Mas, o destino prega as suas partidas e Catarina, após viver uma série de contratempos e desgostos vê-se obrigada a casar com Henrique!
Será que também se apaixona por este homem, totalmente diferente de Artur? Têm de ler para saber!
Este é um livro muito bem escrito, com precisão histórica, que se nota ter como base um aprofundado estudo de época por parte da escritora. Para além disso, é muito bem escrito e o final em aberto deixa o leitor com uma forte vontade de continuar a ler esta maravilhosa saga!
A não perder!!!! 

O melhor: a escrita da autora. O facto de haver uma alternância entre narrativa na terceira pessoa e na primeira pessoa (pela voz de Catarina de Aragão, em estilo de diário).

O Pior: Algumas descrições mais pormenorizadas.
A autora:
Philippa Gregory nasceu no Quénia em 1954, mas mudou-se com a família para Bristol, na Inglaterra, quando tinha dois anos. Frequentou a Universidade de Sussex, onde um curso de Iniciação à História viria a mudar a sua vida. Até hoje já publicou 24 livros – muitos deles bestsellers. Philippa Gregory é doutorada em Literatura do Século XVII pela Universidade de Edimburgo e os seus romances reflectem uma pesquisa e um pormenor histórico meticulosos. O seu período favorito da História é a época Tudor, sobre a qual já escreveu vários romances, alguns dos quais foram adaptados pela BBC a dramas históricos. 
A minha Classificação: 7 - Excelente!

Período de Leitura: De 18 de Outubro a 1 de Novembro de 2011.

Caderneta de Cromos - Nuno Markl

Caderneta de CromosCaderneta de Cromos by Nuno Markl
My rating: 4 of 5 stars

Razões da escolha do livro: Há muito tempo que queria ler estes cromos que sempre considerei serem de um sentido de humor muito apurado!

Proveniência: A biblioteca da minha irmã!


A minha opinião: Se quiserem ler um livro para rir este é o ideal!!!
Com o humor único de Nuno Markl, ficamos a conhecer os "cromos" que marcam as gerações dos anos 70/80!
Ficamos a conhecer vivências, realidades e memórias! Relembrei muitas coisas engraçadas da minha infância e passei óptimos momentos na companhia deste livro!!!Até dei por mim a rir em locais públicos!!!
Os cromos que mais me marcaram desta caderneta? Foram vários mas destaco:
- na categoria da comida: "O pé"( os famosos gelados em forma de pé com um irresistível sabor a morango), " os sugus", " o tulicreme";
- brincadeiras: o jogo "o elástico", o "dragabolas";
- Programas de Tv: a série "Dallas", o "dartacão"
- Música: "onda choc e ministars" e "Modern Talking"

Podia nomear muitos e muitos mais cromos!!!!!Mas estes foram os meus preferidos! E tenciono ler mais livros do Nuno Markl!!!A não perder sobretudo se quiserem dar uma ou várias gargalhadas!!!


O Melhor:  O sentido de humor e as gargalhadas que provoca!

O Pior: Não há nada negativo!

O Autor: Nuno Frederico Correia da Silva Lobato Markl (n. Lisboa, a 21 de Julho de 1971) é um humorista, escritor, locutor de rádio, apresentador de televisão, cartunista e argumentista português. Começou a ser conhecido pelas suas crónicas de notícias bizarras, O Homem que Mordeu o Cão, que geraram além da rubrica na rádio, três livros, um programa de televisão e uma digressão nacional com o espectáculo ao vivo. Mais recentemente, fazia uma rubrica na Antena 3 baseada nas suas experiências quotidianas, Há Vida em Markl, complementada por um blog e cartoons no suplemento satírico O Inimigo Público do jornal Público [1]. É também um dos actores da série cómica, Os contemporâneos, exibida na RTP. Actualmente é co-apresentador do programa "A Rede" no canal de cabo Q e tem a sua crónica diária na Rádio Comercial, apelidada de "Caderneta de Cromos". in Wikipédia.

Classificação: 7 - Excelente

Período de leitura: De 8 a 18 de Outubro de 2011.


25/10/2011

Resultado do Passatempo " O caderno da Morte" de Jonathan Santlofer

Este passatempo contou com 141 participações, das quais 138 foram consideradas válidas.
Obrigada a todos os participantes!
Respostas:
1 - uma série de estranhos crimes e suicídios.
2 - um estudante universitário.
3 - A escrita cativante e os esboços de Jonathan Santlofer.
4 - cinco livros.
5 - artista plástico.
6 -  1989.
Recorrendo ao Random.org o vencedor foi:


86 - Patrícia Isabel Gonçalves Batista
Muitos parabéns!!!!Já enviei o email tanto ao vencedor como à editora com os dados pessoais e em breve receberá o livrinho!!!
Aos restantes participantes: continuem atentos e participem em próximas iniciativas!!!

13/10/2011

Passatempo " O Caderno da Morte" - Jonathan Santlofer

Hoje o Uma Biblioteca Aberta dá inicio a mais um passatempo em colaboração com a Editorial Presença , para oferecer um exemplar do livro "O caderno da morte" de Jonathan Santlofer que será publicado no dia 18 de Outubro.


Regras do passatempo:

1) O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 20 de Outubro.

2) Os dados solicitados (nome completo, email, morada completa, código postal e localidade) têm de ser devidamente preenchidos. Qualquer participação que não possua algum destes dados é automaticamente anulada.

3) O(a) vencedor(a) será sorteado(a) aleatoriamente (através do random.org), sendo o anúncio do(a) vencedor(a) efectuado por e-mail (para o(a) vencedor)(a)) e publicado no blogue até ao dia 25 de Outubro.

4) Só é aceite uma participação por pessoa/morada e, por questões relacionadas com o envio do prémio só serão aceites participações de residentes em Portugal continental e Ilhas (Açores e Madeira).

5) A morada dos par­ti­ci­pantes tem o intuito de facilitar o processo de envio do exemplar para o vencedor e estes dados não serão utilizados para qual­quer outra finalidade.

6) A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.

As respostas poderão ser encontradas aqui
!

Boa Sorte! 



Os Autores nas estantes

Agatha Christie (7) Albert Camus (1) Alexandre Dumas (2) Almudena de Arteaga (2) Amalia Decker Marquez (1) Ana Cristina Silva (2) Andrea Vitali (1) Andy Tilley (1) Anita Notaro (1) Anna McPartlin (2) Annie Murray (2) Anthony Capella (1) Antonio Hill (1) Arthur Schnitzler (1) Arturo Perez - Reverte (1) Audrey Niffenegger (1) Ayelet Waldman (1) Boris Vian (1) Bram Stocker (1) Brian Freeman (1) Camilla Lackberg (6) Care Santos (1) Carlos Ruiz Zafón (2) Cecelia Ahern (1) Charlotte Brontë (1) Colleen McCulloug (3) Dan Brown (2) Daniel Silva (1) David Foenkinos (1) David Nicholls (1) David Safier (1) Dennis Lehane (1) Diane Setterfield (1) Donato Carrisi (2) Edith Wharton (1) Elizabeth Adler (1) Elizabeth Edmondson (1) Elizabeth Gilbert (1) Elizabeth Haynes (1) Elizabeth Hickey (1) Eloisa James (1) Eric-Emmanuel Schmitt (1) Fabio Volo (1) Florencia Bonelli (1) Franz Kafka (1) Fred Vargas (2) George Orwell (1) George R.R. Martin (1) Gustave Falubert (1) Guy de Maupassant (1) H.P.Lovecraft (1) Harlan Coben (2) Haruki Marukami (2) Henning Mankell (2) Henry James (1) Inês Pedrosa (1) Isabel Allende (3) Iza Salles (1) J.K.Rowling (1) James Thompson (2) Jamie Ford (1) Jane Austen (2) Jean Rhys (1) Jennifer Haymore (2) Jessica Bird (1) Jill Abramson (1) Jô Soares (2) John Boyne (1) John Verdon (2) Jojo Moyes (3) Jonathan Santlofer (1) José Rodrigues dos Santos (5) José Saramago (6) Joseph Conrad (1) Jude Deveraux (2) Julia Navarro (1) Julie Garwood (1) Júlio Magalhães (2) Karen Kingsburry (1) Kate Jacobs (1) kate Morton (3) Ken Follett (5) Lars Kepler (3) Leo Tolstoi (1) Lewis Carroll (1) Lisa Gardner (1) Lívia Borges (1) Lucinda Riley (2) Luís Miguel Rocha (4) Machado de Assis (1) Madeline Hunter (2) Marguerite Duras (1) Mário Vargas Losa (2) Matilde Asensi (1) Michael baron (1) Miguel Sousa Tavares (1) Mo Hayder (1) Nicholas Sparks (2) Nicky Pellegrino (1) Nicolas Barreau (2) Nora Roberts (4) Nuno Markl (1) Oscar Wilde (1) Paulo M. Morais (1) Philippa Gregory (3) R.J.Palacio (1) Ricardo Araújo Pereira (1) Ricardo Menendez Sálmon (1) Richard Zimler (1) Robert Louis Stevenson (1) Robert Wilson (1) Rosamund Lupton (2) Rosamunde Pilcher (1) Sandra Brown (2) Sandra Worth (1) Sara Rodi (1) Sarah Addison Allen (3) Slavomir Rawicz (1) Stefan Sweig (1) Stephen King (1) Stephenie Meyer (4) Steven Saylor (1) Stieg Larson (3) Susanna Kearsley (1) Susanna Tamaro (1) Tara Moss (1) Thomas Mann (1) Torey Hayden (1) Tracy Chevalier (2) Wilkie Collins (1) WM. Paul Young (1) Yann Martel (1) Yasunari Kwabata (1) Yrsa Sigurdardóttir (1)